Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

Merenda na FAETEC se resume a um caqui de manhã e um a tarde - Rádio Litoral FM


No comando: PLAYLIST

Das 6:00 às 10:00

No comando: Roberto Carlos e amigos

Das 6:30 às 7:00

No comando: Madrugada Litoral

Das 00:00 às 06:00

No comando: Manhã Litoral

Das 06:00 às 6:30

No comando: Sábado Litoral

Das 06:00 às 10:00

No comando: Bom Dia Litoral

Das 07:00 às 11:00

No comando: Só se for Samba

Das 10:00 às 13:00

No comando: Rádio Show Litoral

Das 11:00 às 15:00

No comando: Sucesso da Hora

Das 13:00 às 14:00

No comando: Litoral do Seu Jeito

Das 15:00 às 18:00

No comando: PLAYLIST

Das 16:00 às 19:00

No comando: PLAYLIST

Das 16:00 às 20:00

No comando: TOP 10

Das 18:00 às 19:00

No comando: Top World

Das 19:00 às 20:00

No comando: Balada Mix Litoral

Das 19:00 às 21:00

No comando: Litoral Light

Das 19:00 às 21:00

No comando: Domingo Litoral

Das 20:00 às 00:00

No comando: Disco Night

Das 20:00 às 22:00

No comando: Litoral na Pressão

Das 21:00 às 22:00

No comando: Voz do Brasil

Das 21:00 às 22:00

No comando: Love Times Litoral

Das 22:00 às 23:59

Merenda na FAETEC se resume a um caqui de manhã e um a tarde

Foto: Divulgação

 

A falta de alimentação nas unidades da Fundação de Apoio à Escola Técnica (Faetec) foi discutida em audiência pública, ontem, das comissões de Educação e de Ciência e Tecnologia, da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj). Problemas como a insuficiência de professores, defasagem tecnológica e precariedade dos prédios também foram apresentados na prévia de um relatório que está sendo elaborado pelos deputados.
O deputado Waldeck Carneiro chamou a atenção também para a alimentação dos funcionários, que não recebem auxílio: “Estamos falando do único órgão da Secretaria estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação onde os profissionais não recebem auxílio-alimentação”.
O estudante Gabriel Ibrahim, representando o grêmio estudantil da Escola Técnica de Bacaxá, na cidade de Saquarema, relatou as dificuldades enfrentadas por diversas unidades da rede. Ele contou que algumas unidades estão em carência de alimentação há semanas. O período integral está comprometido. Na unidade de Nova Iguaçu estão pedindo que os alunos tragam quentinha de casa.
— Alunos da escola Adolpho Bloch comem um caqui pela manhã e um de tarde, disse.
O presidente da instituição, Iranildo Campos, ex-secretário de saúde de Cabo Frio, no governo Adriano Moreno, ressaltou que assumiu a gestão da fundação há 32 dias e alegou que enfrenta dificuldades nas licitações para compra de alimentos, apesar de ter disponibilidade de recursos em caixa. Ele informou, entretanto, que o deverá conseguir o auxílio-alimentação para os funcionários e reafirmou sua capacidade para ocupar o cargo: “Possuo currículo, posso ocupar qualquer cargo no estado”.

Deixe seu comentário:

Curta no Facebook