Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

Juiz mantém prisão de despachantes que falsificavam alvarás - Rádio Litoral FM


No comando: Madrugada Litoral

Das 00:00 às 06:00

No comando: Manhã Litoral

Das 06:00 às 07:00

No comando: Bom Dia Litoral

Das 07:00 às 11:00

No comando: Só se for Samba

Das 10:00 às 13:00

No comando: Rádio Show Litoral

Das 11:00 às 15:00

No comando: Sucesso da Hora

Das 13:00 às 14:00

No comando: Litoral do Seu Jeito

Das 15:00 às 18:00

No comando: Litoral na Pressão

Das 17:00 às 20:00

No comando: Top 10

Das 18:00 às 19:00

No comando: Top World

Das 19:00 às 20:00

No comando: Balada Mix Litoral

Das 19:00 às 21:00

No comando: Litoral Light

Das 19:00 às 21:00

No comando: Domingo Litoral

Das 20:00 às 00:00

No comando: Disco Night

Das 20:00 às 22:00

No comando: Love Times Litoral

Das 22:00 às 00:00

Juiz mantém prisão de despachantes que falsificavam alvarás

Foto: Shutterstock

O Juiz em exercício da primeira vara de Búzios, Danilo Marques Borges, negou pedido de liberdade e manteve a prisão dos cinco despachantes de Búzios acusados de comandar esquema criminosos de venda de alvarás falsos.
O magistrado ressalta na decisão que a manutenção da prisão dos réus é necessária diante de denúncias de ameaças a testemunhas e de tentativa de destruição de provas.
Thiago Silva Soares, Jonatas Brasil Rodrigues, Maurício Rodrigues Carvalho do Nascimento e Wellington Quintanilha cobravam por cada alvará em média de R$ 5 mil a R$ 6 mil, mas teve empresário que chegou a pagar R$ 30 mil Reais.
O grupo que falsificava alvarás falsos em Búzios e que está preso desde fevereiro ameaçou testemunhas e tentou destruir provas do crime segundo relatos do Ministério Público.
De acordo com as investigações, Maurício Rodrigues Carvalho do Nascimento chegou a ameaçar uma das vítimas ao descobrir que ela iria a delegacia denunciar o grupo.
Jonatas Brasil Rodrigues percorreu diversos estabelecimentos comerciais para recolher alvarás falsos, numa tentativa de induzir a Justiça ao erro, de acordo com o juiz Danilo Marques Borges, que negou pedido de liberdade ao grupo.

Deixe seu comentário:

Curta no Facebook